Biossíntese de nanopartícula prata do fungo nematófago Duddingtonia flagrans

21, novembro de 2017

No segundo semestre de 2017, a família UVV tornou público para a comunidade científica internacional uma pesquisa inédita realizada em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo e Universidade Federal de Viçosa.

A pesquisa intitulada “Biossíntese de nanopartícula prata do fungo nematófago Duddingtonia flagrans” foi publicada em um dos mais conceituados periódicos internacionais na área de Medicina e Nanotecnologia, o Internacional Journal of Nanomedicine, reconhecido também no Brasil pelo seu alto fator de impacto (4.3 JCR) e qualificação Capes (A1). 

Esta pesquisa, genuinamente capixaba, é fruto da dissertação da aluna Laryssa Pinheiro Costa Silva, egressa do Mestrado em Ciências Farmacêuticas e, orientada pelo professor Fabio Ribeiro Braga. O projeto contou ainda com a parceria científica do professor Fernando Luiz Tobias, do mestrado em Ciência Animal e coordenador da graduação em Medicina Veterinária. 

O grande ineditismo e inovação biotecnológica desta pesquisa foi produzir uma nanopartícula (“ecofriendly”) a partir de um fungo nematófago, organismo esse, reconhecido durante décadas com um biocontrolador de parasitos nocivos à saúde humana e animal e agora com outra notável atuação. 

As Nanopartículas são reconhecidamente interessantes por possuírem significativas propriedades antibacterianas contra micro-organismos patogênicos e diversas atividades que os cientistas consideram como a nova “ciência” no combate a doenças.

Para nós da Universidade Vila Velha, é um orgulho saber que o ensino, a pesquisa e a extensão estão sendo aplicados de maneira nobre e íntegra em seu mais alto nível!

Clique aqui para acessar a pesquisa!