Carreira de engenharia do petróleo está em alta nacionalmente

3, maio de 2018
 
A carreira do Engenheiro de Petróleo está em alta no Brasil. Com os novos leilões de blocos exploratórios no pré-sal, grandes operadores internacionais já estão investindo no setor. Todo esse movimento irá refletir em um retorno da demanda por engenheiros de petróleo nos próximos anos. Em médio prazo, as áreas de atuação com as melhores perspectivas para o Engenheiro de Petróleo devem ser Engenharia de Reservatórios, Perfuração de Poços, Geologia de Reservatórios e Geosísmica.
 
No Espírito Santo, os investimentos das multinacionais para o setor de petróleo e gás somam mais de R$ 10 bilhões, em cinco anos. Elas devem criar seis mil empregos diretos e indiretos até 2022. O diretor-geral da ANP (Agência Nacional do Petróleo), Décio Oddone, destacou que estão previstos R$ 1 trilhão em investimentos e 40 novas plataformas até 2027.
 
Segundo Fernando Fontes Barcelos, professor e coordenador de Engenharia de Petróleo da UVV, “este é o momento propício para ingressar no mundo do petróleo e fazer um excelente curso de Engenharia de Petróleo na UVV”. O curso possui um Acordo de Cooperação com a Bergen University, na Noruega, onde os alunos participam de seminários regulares no país que é referência mundial do setor.
 
Ao longo dos anos de sucesso, o curso obteve um Capítulo Estudantil da SPE (Society of Petroleum Enginneers), a maior organização internacional que congrega profissionais e estudantes ligados à indústria de petróleo e gás. Aqui, os egressos trabalham nas maiores empresas de petróleo do mundo, como Petrobras, Baker Hughes do Brasil, Halliburton Services do Brasil, National Oilwell Varco do Brasil, Repsol, Schlumberger do Brasil e Weatherford do Brasil.
 
A economia do planeta ainda vai continuar, por muito tempo, a depender do petróleo e isso traz boas perspectivas para os engenheiros da área.