Pelos direitos delas e deles também

19, outubro de 2018

As alunas do curso de Direito, Lorena Bozzeti e Thais Colli, produziram artigos de temas com grande importância social e acadêmica. Assuntos diferentes, mas que desejam discutir e conscientizar quanto à proteção de direitos fundamentais a todos.

Lorena Bozzeti apresentou um artigo a respeito da aplicação da Lei Maria da Penha no Espírito Santo. Ele analisa a lei, que pune autores de agressões contra mulheres. Mas sabemos que ainda não é uma luta vencida, sendo que os direitos que protegem as mulheres não são suficientes, principalmente em um estado como o Espírito Santo, recordista quando o assunto é violência contra a mulher, em relação aos índices de feminicídio.

Para Lorena, sua pesquisa vai além de compartilhar novas informações sobre a Lei Maria da Penha, ela proporciona e reforça a conscientização de que o machismo mata e fere. “Essas informações podem fazer com que a comunidade crie hábitos que tragam a inclusão e a igualdade para os meios sociais. E, também uma auto estima para as mulheres, para estas terem conhecimento de que o machismo pode ser discutido e desmistificado”, conta.

A pesquisa ultrapassou as fronteiras do estado e foi apresentada no Encontro Nacional de Direitos Humanos, no Piauí.

Já o artigo de Thais aborda a proteção dos animais que são submetidos à vivissecção, uma intervenção animal em âmbito de ensino, considerada invasiva e desnecessária, uma vez que há procedimentos alternativos que podem substituir os testes e estudos. O bem-estar de cada animal vai além do bem-estar físico. Ele considera o sentimento do animal, seus hábitos, necessidades, sofrimentos e medo.

A professora do curso, Thais Machado, foi responsável por auxiliar as alunas em todo o processo de escrita e publicação dos artigos. Além disso, Thais esteve no Congresso sobre Direito e Governança, na Argentina, para apresentar o artigo, difundindo uma governança responsável na questão ambiental perante os animais.

“É preciso muito debate e uma atuação forte do campo jurídico para resguardar direitos fundamentais que estão sendo flexibilizados. A produção acadêmica produz movimento, debate, refuta verdades que se apresentam como absolutas. Além de proporcionar ao aluno se formar com publicações no currículo. Para nós, é uma conquista gratificante”, explica.

A reflexão e o debate promovidos pelas publicações acadêmicas, além de disseminar conhecimentos, agregam experiências e reconhecimento no âmbito acadêmico para os alunos, levando os resultados das pesquisas para toda coletividade.