#PrideMonth

28, junho de 2018

Entenda por que junho é considerado o mês do orgulho LGBTQ+

 

O dia 28 de junho é considerado o dia internacional do orgulho LGBTQ+ devido a um fato ocorrido em Nova Iorque, nos Estados Unidos, nesta mesma data, em 1969. O cenário era totalmente desfavorável para a população homoafetiva e as políticas públicas tornavam a situação ainda mais crítica. Os casos de homofobia sequer podiam ser contestados, pois até mesmo as autoridades tendiam a hostilizar homossexuais. 

À época, a população LGBTQ+ era colocada no mesmo nível de criminosos, logo, sua presença em diversos locais era proibida, e o uso da violência era comum para subjugá-la. Um dos poucos estabelecimentos nova-iorquinos que aceitavam a presença de homossexuais era o Stonewall Inn, um bar gay administrado por mafiosos, localizado no bairro Greenwich Village, na ilha de Manhattan. 

Embora batidas policiais em lugares frequentados por homossexuais fossem recorrentes, a violência empregada contra os fregueses do Stonewall Inn na madrugada do dia 28 de junho de 1969 gerou um inesperado levante, hoje conhecido como a Revolta de Stonewall.

 

Interdição do Stonewall Inn

Ao chegarem no Stonewall Inn, policiais informaram que o local seria interditado e iniciaram a separação das pessoas. Os motivos para a interdição são incertos, mas acredita-se que a ação foi motivada pela falta de pagamento de suborno à polícia ou à uma suposta ilegalidade das bebidas alcoólicas vendidas no local. 

Por determinação, homens vestidos como mulheres deveriam ser revistados – para confirmar se eram de fato homens – e detidos. Os demais indivíduos deveriam apresentar seus documentos de identificação para serem liberados. 

A agressividade aplicada na abordagem daquela noite, somada à tentativa de autuação das pessoas transgêneros e ao assédio a mulheres lésbicas presentes no ambiente, causou revolta e irrompeu ao embate entre os frequentadores do Stonewall Inn e a polícia. 

Os clientes do bar decidiram resistir e, por isso, não se identificaram aos policiais. Os que foram liberados, ao invés de irem para casa, conforme orientação, aglomeraram-se em frente ao Stonewall em solidariedade às pessoas detidas no interior do estabelecimento. 

A movimentação atípica na área externa chamou a atenção dos pedestres. Muitos deles, homossexuais ou simpatizantes do movimento LGBTQ+, juntaram-se ao grupo resistente para acompanhar de perto o desenrolar dos acontecimentos.

 

O início do caos

Usando a chacota e o bom humor para ridicularizar a ação policial, o ato ganhou contornos mais caóticos quando, durante a condução dos detidos para o camburão, um guarda empurrou uma travesti, que reagiu acertando-o com sua bolsa. 

Neste momento, os manifestantes começaram a jogar moedas nos policiais, em alusão à propina que eles supostamente esperavam receber. Quando uma nova agressão aconteceu, agora contra uma mulher algemada, alguns manifestantes avançaram contra os policiais, que revidaram.  

As pessoas dentro do Stonewall In seguiram resistentes, e os policiais que os vigiavam não tiveram outra opção senão continuar no interior do estabelecimento. Àquela altura, sair de lá era praticamente impossível. No lado de fora, objetos eram arremessados descontroladamente, alguns em direção ao próprio bar, que foi invadido em um dos momentos mais violentos do conflito. 

Ao fim da noite, depois que reforços policiais conseguiram conter os manifestantes, foram registrados vários casos de pessoas feridas e hospitalizadas. O Stonewall Inn estava completamente destruído. Um incêndio provocado no momento do embate avariou boa parte de sua estrutura e as paredes da área externa estavam totalmente pretas, em função da fumaça. 

Nas primeiras horas do amanhecer, as ruas ao redor do estabelecimento estavam vazias e os sinais do acontecimento espalhavam-se por todo o Greenwich Village. Esta foi a primeira noite da Revolta de Stonewall.

 

Registro da primeira noite da Revolta de Stonewall Inn. Fonte: Wikipédia

 

Os dias seguintes

Com grande cobertura da imprensa, o dia seguinte à primeira noite de conflitos foi marcado pela visita de curiosos e de apoiadores à causa ao Stonewall Inn. Frases de apoio aos direitos dos homossexuais marcavam os muros de todo o bairro. À noite, uma nova multidão se aglomerava na localidade para novos protestos. 

Fortalecidos pelo ímpeto da mudança, muitos beijavam-se publicamente, algo que não costumava acontecer. As manifestações de afeto entre homossexuais eram restritas ao interior de bares similares ao Stonewall Inn. 

Novos casos de depredação foram registrados e, outra vez, polícia e ativistas entraram em confronto. O número de manifestantes era consideravelmente maior em relação ao registrado na primeira noite e o impacto do conflito causou ainda mais destruição. O fato se repetiu na terceira noite e, ao final, apesar de inúmeras detenções e pessoas feridas, nascia um sentimento de força e orgulho até então inexistente entre a população LGBTQ+ da época.

 

Fachada do Stonewall Inn, três meses após a revolta. No vidro, os dizeres: “Nós, homossexuais, advogamos, com nossa comunidade, a manutenção da conduta pacífica e calma nas ruas do Village—Mattachine.” – Fonte: Stonewall: The Riots that Sparked the Gay Revolution, St. Martin’s Press, 2004

 

O legado de Stonewall

Embora nem toda a comunidade gay considerasse a Revolta de Stonewall positiva, a data tornou-se emblemática por ter marcado o início de uma nova era na luta por igualdade e pelos direitos dos homossexuais. 

No primeiro aniversário do ato de 28 de junho de 1969, para lembrar a data, Nova Iorque sediou a primeira parada gay do mundo. Hoje, o evento acontece em diversos países e segue como movimento de resistência contra os preconceitos que continuam reprimindo, matando e negando os direitos da população homossexual. 

Além disso, foi a partir desse fato que a luta por direitos ganhou maior relevância social, com grupos e organizações agindo exclusivamente em favor da diversidade. E desde junho de 2016, o Stonewall Inn é considerado, oficialmente, um marco histórico dos Estados Unidos. 

Assim, graças aos atos de Stonewall Inn, que inspiraram movimentos em várias partes do mundo, junho se tornou um mês marcado pela celebração do orgulho, pela conquista da igualdade de direitos e pelo fim da violência contra pessoas LGBTQ+.

 

O Stonewall Inn atualmente. Estabelecimento e região ao redor são considerados marcos norte-americanos. Fonte: Wikipédia

 

Fontes 

Por que 28 de junho é o dia do orgulho LGBT: http://www.aberje.com.br/blogs/post/por-que-28-de-junho-e-o-dia-do-orgulho-lgbt/ 

28 de junho – Dia do Orgulho LGBTI: https://anistia.org.br/28-de-junho-dia-orgulho-lgbti/ 

Rebelião de Stonewall: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rebeli%C3%A3o_de_Stonewall#Legado