Reconhecimento é tudo

22, maio de 2017

Anualmente a Capes abre o edital Bolsista Produtividade, que premia os docentes pesquisadores que atingem um nível de publicação, de orientação e de participação na comunidade científica. A pesquisa premiada é aquela que produz um impacto no campo científico, dentro dos critérios que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) determina.

A Dra. Denise Endringer, Professora da graduação e mestrado em ciências farmacêuticas aqui da UVV, foi premiada no edital Bolsista Produtividade do CNPq. “Ano passado submeti um projeto apresentando toda minha carreira, todo meu passado científico e também o que eu quero para o futuro. Apresentei as orientações de mestrado concluídas, as coorientaçoes de doutorado, todas as publicações, livros e revisões de periódicos internacionais que participei. Fui classificada com nota acima de 8 e fui contemplada com essa bolsa.”

Ser um pesquisador CNPq coloca o pesquisador em outro nível. Além disso, há um reconhecimento da comunidade científica brasileira, que faz jus ao status de pesquisador CNPq. É um grande reconhecimento, exalta o trabalho produzido em relação a contribuição dele para o campo científico brasileiro.

Para participar, o pesquisador deve apresentar um projeto que mostre a pretensão de pesquisa nos próximos 3 anos. Caso o pesquisador seja contemplado com a bolsa, todos seus custos com a pesquisa serão financiados pelo governo.

A proposta do projeto é uma quimioprevenção de câncer empregando as algas que estão no litoral brasileiro, mais especificamente, no litoral capixaba. O projeto teve início com um TCC, há 2 anos. “A dissertação foi muito interessante, me encantei pelo tema e resolvi mostrar ao CNPq que tinha condições de dar continuidade à pesquisa”.

Esse projeto contribui para a linha de pesquisa de isolamento de algas, que são utilizadas para limpar as águas, mas com uma nova finalidade: tratamentos preventivos contra o câncer. Além disso, um futuro para o projeto é também entrar na parte cicatrizante que as algas podem proporcionar.

“Esse reconhecimento representa o investimento que a UVV fez em mim, que o governo brasileiro fez em mim. É em homenagem, também, à credibilidade que os alunos que me escolherem como orientadora depositaram em mim. Meu objetivo é continuar com a pesquisa. Uma vez que entrei, quero subir ao nível máximo que o CNPq pode classificar, o nível A.”