The Voice Foundation

28, junho de 2017

Nossa professora de Fonoaudiologia, Lívia Lima, foi destaque no 46º Simpósio Anual da The Voice Foundation. O congresso – que é voltado para voz profissional – mudou até seu rumo: Lívia foi premiada com sua tese de doutorado sobre disfonia infantil, que são as alterações vocais na infância.

A conferência aconteceu do dia 31 de maio ao dia 04 de junho de 2017, no The Westin Philadelphia (Filadélfia, Estados Unidos). Reunindo programações apresentadas pelos principais profissionais do campo de atendimento vocal, o congresso é o maior evento científico na área da Fonoaudiologia.

A tese de doutorado apresenta um levantamento de mil participantes. É o maior levantamento mundial que existe na área. Lívia conta que trabalha com isso há anos. “Não existe nenhum outro estudo que tenha lidado com tantos participantes. Foram pessoas entre 6 e 18 anos, crianças e adolescentes, de ambos os sexos, com e sem problema vocal”.

Além disso, a pesquisa possui outro diferencial: relaciona os problemas vocais com a saúde mental dos participantes. “Esse foi o principal alerta do estudo. Se a criança tem muitos sintomas (como rouquidão, dor para falar, sumiço da voz) e evita se expor ou fazer algum tipo de socialização ou interação por causa da voz, paralelo a essa alteração vocal, podem existir problemas de comportamento. E isso pode ser causa ou consequência da voz. Sempre existe uma correlação”, comenta Lívia. A professora ainda explica que, embora isso não interfira necessariamente nas habilidades sociais da criança, acarreta prejuízos de comportamento.

Lívia comenta que sua tese é dividida em três partes. “O primeiro estudo validou um instrumento francês que combina relatos de pais e filhos para investigar problemas de voz. O segundo investiga a relação de comportamento e voz – onde eu descobri a relação do problema vocal com o comportamental. Já o terceiro estudo verifica a correlação entre voz e comportamento e a concordância entre pais e filhos sobre a questão”. É interessante falar que também não existiam dados sobre o quanto os pais concordam com seus filhos sobre sua voz e isso foi abordado nessa terceira parte da tese.

São anos de dedicação que merecem reconhecimento. “Quando vem uma premiação dessas, você lava a alma, fecha um ciclo. Olha para trás e fala ‘faria tudo de novo’. É clichê, mas quando a gente faz o que ama, a gente mergulha de cabeça”.

Estamos orgulhosos por mais essa conquista. Parabéns, Lívia! Você merece todo sucesso do mundo!